Hospital Sírio-Libanês afirma não ter encontrado registro de visita do advogado de Lula

Por Redação 11/10/2017 - 20:49 hs
Foto: Arquivo Veja Paraná

A direção do hospital Sírio Libanês, em São Paulo, afirma não ter encontrado registro de visita em nome do advogado de Lula, Roberto Teixeira, no período em que o empresário e engenheiro Glaucos da Costamarques esteve internado no local.

O juiz Sérgio Moro havia pedido que o hospital apresentasse informações sobre as pessoas que visitaram Costamarques entre os meses de novembro e dezembro de 2015. A defesa do empresário afirmou que Teixeira esteve no hospital para falar do aluguel do apartamento vizinho ao que o petista vive, em São Bernardo do Campo e que é alvo de ação penal na Lava Jato.

A direção do hospital ainda esclareceu que, no período analisado, Glaucos da Costamarques recebeu a visita do contador João Muniz Leite. Na ocasião, Glaucos teria assinado 12 recibos de aluguel do apartamento relativos a meses de 2014 e 2015. Roberto Teixeira disse em depoimento ao juiz Sérgio Moro que teve um encontro com Costamarques no hospital, mas afirmou que a visita foi casual.

A propriedade do apartamento faz parte da denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal, que acusa o petista de receber propina da Odebrecht. Para os procuradores, Lula não pagou aluguéis pelo uso do imóvel, que teria sido adquirido com dinheiro da empreiteira.