Nove pessoas são presas e quatro armas apreendidas durante operação policial

Por Redação 16/11/2017 - 19:59 hs
Foto: Polícia Civil do Paraná

Uma operação policial, deflagrada na manhã desta quinta-feira (16), pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), levou nove pessoas para a prisão, suspeitas de cometerem vários roubos a mão armada na capital e região, além de envolvimento com tráfico de drogas e associação criminosa. As prisões aconteceram em Curitiba e na Região Metropolitana da capital.

Durante a ação, 17 mandados judiciais foram cumpridos, sendo cinco de prisões temporárias e 12 busca e apreensão. Na casa dos suspeitos, a equipe policial apreendeu quatro armas de fogo, munições de diferentes calibres, bem como um quilo de maconha, 120 gramas de crack, celulares e dinheiro.

Ao todo, nove pessoas foram presas, sendo três homens, entre 26 a 30 anos e dois rapazes de ambos de 18 anos. Além de outras quatro prisões em flagrante (entre elas uma mulher) de pessoas com idades, de 19 a 32 anos. Os mandados foram expedidos pela 10ª Vara Criminal de Curitiba.

O delegado responsável pela operação, Andre Feltes, revela que os pedidos de prisões temporárias de parte do grupo foi deliberada depois que um homem de 54 anos sofreu um roubo no último dia 03/11, deste ano, ocorrido no bairro Jardim Itália, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. “Na ocasião, os criminosos agrediram violentamente a vítima antes de levar aproximadamente R$ 2 mil em dinheiro e seu telefone celular”.

Após dois meses de investigação, os suspeitos foram sendo gradativamente identificados, sendo que foram reunidos elementos que caracterizam a atividade de uma associação criminosa armada. “Verificamos que este grupo também desenvolvia atividades de tráfico de drogas e de tráfico de armas de fogo. Eles contavam com todo uma estrutura criminosa, onde planejavam cada detalhe dos roubos executados por eles”, falou Feltes. 

De acordo com o delegado e modus operandis dos suspeitos eram sempre os mesmos, armados, rendiam as vítimas e com muita violência levavam tudo que era de maior valor. 

Os presos por força de mandado de a prisão temporária deverão permanecer custodiados no setor de carceragem temporária por, pelo menos, 30 dias. Os presos em flagrante irão para audiência de custódia. Os suspeitos responderão por diferentes crimes: associação criminosa, posse de arma de fogo, roubo, trafico de drogas e associação para o tráfico. 

“A integração, mais uma vez, foi a palavra-chave da operação, que rendeu bons resultados e deu uma mostra do que podemos fazer, de forma conjunta entre as forças de segurança”, apontou o secretário municipal de Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel. 

Toda a droga apreendida foi encontrada com o auxílio dos cachorros farejadores que integram o Grupo de Operações com Cães da Guarda Municipal de Curitiba. Grande parte do entorpecente estava enterrada. “Em operações como a de hoje, para encontrar a droga, a participação do cão é fundamental. Por mais que a gente trabalhe com todas as técnicas policiais, nada como o cachorro para encontrar droga escondida”, acrescentou Rangel.